Caravana Centro De Referência Jongo – Terceira Parada: “Jongo do Tamandaré”

Tamandare1

”Gosto da luz divina

Pro meu caminho iluminar, (2x)

Eu pedi a Nossa Senhora

Pra beijar o seu altar (2x) ”

(Ponto da Comunidade Jongo Dito Ribeiro)

Hoje estávamos bem ansiosos pra ida até a casa da nossa madrinha Mestra Lúcia do Jongo de Tamandaré… Acordamos um pouco tarde pois fomos dormir quase 4 horas da manhã terminando os relatórios das vivências passadas.

Tamandare5

 Chegamos na casa da Mestra Lúcia e mais uma vez, fomos muito bem recebidos pelo André liderança do Jongo de Tamandaré, que logo já nos encaminhou até a cozinha da casa, lugar que por sinal nós adoramos.

Chegando lá nossa surpresa maior foi encontrar uma lage com uma vista maravilhosa das montanhas e do bairro inteiro de Tamandaré.

Um terreiro de Jongo com terra batida, mesas e cadeiras, além de uma refrescante sombra das árvores que cercam a casa, e claro… galinhas, símbolo do terreiro que ali chegávamos.

 Ali é mesmo um terreiro de galinha… Salve tia Mazé!!!!

Tamandare17

Sentamos do lado de fora pra conversarmos e colocarmos o papo em dia enquanto alguns foram até ao supermercado comprar as coisas pra comida…

Tamandare2

Seu Divino, um senhor da comunidade jongueira que chegou como quem não quisesse nada, nos surpreendeu pelo gau de sabedoria e vivências sobre africanidade e identidade na cidade de Guaratinguetá, e aos 65 anos, afirma ter 130 de ancestralidade viva dentro dele. Logo após, a nossa Mestra Liderança Alessandra Ribeiro, perguntou pra Mestra Lúcia o que ela se lembra da chegada dela na Comunidade de Tamandaré e depois como foi o processo de apadrinhamento da Comunidade Jongo Dito Ribeiro.

 A emoção que sentimos quanto jongueiros de Dito Ribeiro ao lembrar da Tia Mazé, que foi a avó de coração da nossa Mestra Liderança Alessandra Ribeiro não tem igual, o corpo arreia, o coração acelera e a sensação presencial de Dito Ribeiro e Tia Mazé é inexplicável!!!

Tamandare3

Mestre Totonho logo chegou com seu caderno com mais de 300 pontos de jongo, sentou perto de nós e abrilhantou nossa tarde com seus pontos…

Enquanto conversávamos e cantávamos os pontos de Jongo, Tia Edna e Iara, irmã da Mestra Lúcia Maria, nos avisou que a comida estava pronta. O famoso e delicioso Fricassê! Um prato afro francês criado pela comunidade e como sobremesa pavê de limão… afff Maria… que gulodice deliciosa, nos acabamos…

Tamandare13

Terminamos de almoçar e já demos início na Oficina de Torços e Turbantes… As crianças do Jongo de Tamandaré ficaram encantadas e já logo trataram de fazer suas próprias amarrações.

Tamandare24

 Em seguida juntamos a Mestra Lúcia e os outros irmãos do Jongo de Tamandaré para darmos início na nossa roda de conversa.

Precisamos dar uma pausa, pois a luz do sol já não era mais suficiente pra gravarmos…

Tamandare23

Mas rapidamente já voltamos e finalizamos com uma roda de jongo maravilhosa. É sempre muito bom estar com nossos padrinhos!!!

E a foto final não pode faltar, agradecemos ao Jongo do Tamandaré!

Tamandare26

A frase de hoje é:  Cabeça erguida e pé no chão!

A benção nossos padrinhos.

Tamandare29

” Meu cachorrinho

Foi pro mato caçar,

O que é que ele trouxe, boa Sinhá?

Boa sinhá, boa sinhá.

O que é que ele trouxe, boa sinhá? ”

(Ponto do Jongo de Tamandaré)

Bianca Lucia Martins Lopes, Comunidade Jongo Dito Ribeiro.

Fotos: Neander Heringer (Ponto de Cultura NINA)

Veja a entrevista com a Comunidade de Jongo do Tamandaré – Guaratinguetá-SP:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*