Caravana Centro De Referência Jongo – Quarta Parada: “São Luíz do Paraitinga – Memórias do Raizeiro”

SaoLuisParaitinga25

” Ontem tinha cem,

Hoje aqui tem pouco,

Canta sinhá, canta,

Bananeira não tem oco.

Cachoeira! ”

(Ponto da Comunidade Jongo Dito Ribeiro)

Hoje acordamos mais dispostos para a volta aos trabalhos formais, depois de uma pausa de três dias para organizamos nossos materiais, tratar as fotos, editar alguns vídeos e escrever os textos…

SaoLuisParaitinga1

Ao chegarmos em São Luiz do Paraitinga nos surpreendemos com a diversidade de cores dos prédios no centro da cidade, semelhante ao Pelourinho em Salvador-BA.

Fomos até o Centro Turístico e Cultural Nelsinho Rodrigues, aonde nos encontramos com o Eduardo Coelho Diretor de Turismo e com o Leandro Barbosa Diretor de Cultura, que nos acompanhou até o Bairro Raizeiro. Este nome ao bairro se deu por causa do Seu Raizeiro, que foi quem fez Jongo por muito tempo na cidade.

SaoLuisParaitinga6

Seu Raizeiro ganhou este apelido por ser um grande conhecedor de ervas e das plantas, e passou a cuidar e curar muitas pessoas… Seu Raizeiro foi até parteiro!! E por isso Raizeiro, por trabalhar com as Raízes das coisas.

Depois de quase 20 minutos de estrada de terra, chegamos a casa de Dona Maria, esposa do falecido seu Raizeiro, a casa mais parece um Sítio, com galinhas, galos, cachorros, gatos, patos e também muitos pintinhos.

SaoLuisParaitinga7

 Dona Maria é uma senhora de 70 anos que nos recebeu de braços abertos, assim como nós, ela adora uma prosa rsrs… Que logo nos contou as memórias de seu falecido marido, Seu Raizeiro, que faleceu aos 65 anos com uma árvore presa em sua perna.

Enquanto Dona Maria nos contava de Seu Raizeiro, a marmita que trouxemos já estava sendo aquecida. Afinal… Vida de registro em campo é assim tudo se reaproveita rsrsrsrs…

SaoLuisParaitinga8

Assim que ficou quente a comida, sentamos todos na mesa da cozinha para almoçarmos…

Dona Maria não comeu, diz que depois do almoço ela não rende, o sono e a moleza toma conta do corpo.

E nós quem dizemos isso com a moleza que dá rsrs, aquele som dos pintinhos piando, estavam sendo um dado sonífero para os nossos ouvidos, mas claro, o papo estava tão bom que a curiosidade por conhecer as histórias, não nos deixou nem se quer piscar!!

Logo após, fomos até o quintal para começarmos nossa roda de conversa…

SaoLuisParaitinga11

Tivemos que interromper a filmagem, pois, a chuva chegou e chegou forte. Mas, nada que acabasse com clima, até porque, Dona Maria abrilhantou ainda mais as histórias que ela tinha para nos contar com seu sorriso.

SaoLuisParaitinga15

Terminamos os trabalhos da manhã e parte da tarde, nos despedindo da Igreja do Bairro Raizeiro e comendo goiabas no pé.

SaoLuisParaitinga21

”Bananeira foi plantada,

Lá no meio do Café,

Olha safra foi embora,

Bananeira está de pé.

Cachoeira! ”

(Ponto da Comunidade Jongo Dito Ribeiro).

SaoLuisParaitinga26

Ao chegarmos na pousada “Cantinhos do Chalé” onde iríamos passar a noite, nos deparamos com um lugar maravilhoso, chalés aonde podíamos escolher em que quartos queríamos ficar, verde da natureza por toda nossa volta, e os donos, ah os donos… Uma família muito acolhedora, carinhosa e especial, fizeram nos sentir literalmente em casa.

SaoLuisParaitinga22

Com o nascer da Lua, chegou Seu Ditão, um jovem senhor de olhos claros, azuis como água de piscina, que nos proporcionou conhecer suas belas poesias… Um grande apreciador, devoto de Sací-Pererê e jongueiro velho, que por sinal, era amigo-irmão de Seu Raizeiro.

Rimos com suas estórias de Saci, fizemos uma rodada de desafios de jongo… bom demais…

SaoLuisParaitinga17

Seu Sérgio, dono da pousada nos avisou que a janta estava pronta. Afinal sua esposa Dona Adelaide foi quem nos deu a alegria da gula de conhecer alguns dos deliciosos pratos da culinária de São Luiz do Paraitinga, comemos até, pra variar rsrs… E pra terminarmos nossa noite com chave de ouro, uma linda cobra Cascavél se apresentou pra nós, Arroboboi!! Que cobra maravilhosa… Mas, em meios tantos bambuzais de Iansã, seria inevitável! Axé.

SaoLuisParaitinga24

A frase de hoje é: ” Nunca é tarde para voltarmos atrás e buscarmos as nossas raízes. Sankofa ”

Bora pra Piquete-SP a caminhada continua…

” Tem que ter jongueiro novo, ôlelê,

Pois o Jongo não pode acabar, (2x)

Cada jongueiro novo, que nasce ôlele,

É um sol pronto para raiar (2x).

Cachoeira! ”

(Ponto da Comunidade Jongo Dito Ribeiro)

Bianca Lucia Martins Lopes, Comunidade Jongo Dito Ribeiro.

Fotos: Neander Heringer (Ponto de Cultura NINA)

Entrevista com pessoas que trazem memórias do Jongo em São Luis do Paraitinga-SP:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*